Sílvia Raposo CV

SÍLVIA RAPOSO
Nasceu em Lisboa a 9 de Junho de 1993. Doutoranda em Artes Performativas, licenciada e mestre em Antropologia e mestranda em Artes Cénicas pela Universidade Nova de Lisboa, é investigadora no CRIA (Centro em Rede de Investigação em Antropologia). Produtora, dramaturga e actriz, integrou a Companhia VIDAS DE A a Z, e fundou as Produções D. Mona em parceria com Mónica Kahlo.
Percurso artístico
§  KUSAMA E WARHOL: o maior roubo da pop (produção: D. Mona, texto e encenação: Mónica Kahlo e Sílvia Raposo, 2019/20. Centro Cultural de Carnide// Lisboa (PT) JUN 2019. Grande Aud. Fórum da Maia// Maia (PT) JUN 2019. Festival de Teatro de Braga// Braga (PT) JUN 2019. Muestra Internacional Mujeres que cuentan// Cantábria (ES) OUT 2019. Casa do Coreto// Lisboa (PT) NOV 2019);
§  NÃO KAHLO (produção: D. Mona, texto e encenação: Mónica Kahlo e Sílvia Raposo, 2018/19. Centro Cultural da Malaposta// Lisboa (PT) MAI 2018. Noite Europeia dos Museus – Centro Cultural de Cascais// Cascais (PT) MAI 2018. Casa do Coreto// Lisboa (PT) JUN 2018. Teatro Bernardim Ribeiro// Estremoz (PT) JUL 2018. Festival Clown y Cabaret// Madrid (ES) JUL 2018. III Ciclo de teatro Argentino// Madrid (ES) JUL 2018). Anfiteatro Moinhos de Sant’Ana// Belém (PT) JUL 2018. MOITA MOSTRA’18// Moita (PT) AGO 2018. Auditório Beatriz Costa// Mafra (PT) SET 2018. Mostra do dia Municipal para a Igualdade de Género // Alvaiázere (PT) DEZ 2018. Centro Cultural Olga Cadaval// Sintra (PT) FEV 2019. Quartel das Artes// Aveiro (PT) FEV 2019).
§  VOVÓ GANZA! Uma Comédia de Faca e Alguidar (produção: Companhia Vidas de A a Z, texto e encenação: Mónica Kahlo. Festas de Lisboa’17// Lisboa (PT) JUN 2017. Teatro Valadares// Caminha (PT) JUN 2017. Cineteatro de Vila Praia de Ancora// Caminha (PT) JUN 2017. Anfiteatro ao Ar Livre// Aljustrel (PT) JUL 2017. Casa do Coreto// Lisboa (PT) OUT 2017. Teatro Turim// Benfica (PT) OUT 2017. Auditório Costa de Caparica// Almada (PT) NOV 2017. FesTA – Festival de Teatro// Ferragudo (PT) NOV 2017).
§  SIM, MEU LÍDER! (produção: Companhia Vidas de A a Z, texto: Mónica Kahlo. Casa Municipal de Cultura// Pedrógão Grande (PT) MAR 2017).
§  EU SOU MEDITERRÂNEO: Um espectáculo sobre a banalidade do mal (produção: Companhia Vidas de A a Z, texto: Mónica Kahlo e Sílvia Raposo. Teatro Turim// Benfica (PT) JUN 2016. Auditório Costa de Caparica// Almada (PT) JUL 2016. Casa de Cultura da Ericeira// Mafra (PT) SET 2016. Auditório Carlos Paredes// Benfica (PT) SET 2016. Instituto de Acção Social das Forças Armadas// Oeiras (PT) SET 2016);
§  Uma Questão de Sexo ou de Morte (produção: Companhia Vidas de A a Z, texto: Mónica Kahlo. Espaço Evoé// Lisboa (PT) OUT 2015. EKA Palace// Lisboa (PT) JAN 2016. Teatro Turim// Benfica (PT) FEV 2016. Círculo Experimental de Teatro de Aveiro// Aveiro (PT) FEV 2016. Auditório Costa de Caparica// Almada (PT) JAN 2017. Auditório Municipal// Pampilhosa da Serra (PT) JAN 2017);
§  NÃO HÁ TRAGÉDIA SEM COMÉDIA: As Desventuras do Amor (produção: Companhia Vidas de A a Z, texto: Mónica Kahlo e Sílvia Raposo. Casa da Cultura// Mora (PT) JUL 2015. Centro Cultural Dr. António Menano// Guarda (PT) JUL 2015. Museu Municipal de Faro// Faro (PT) JUL 2015. Centro Cultural de Vila do Bispo// Faro (PT) AGO 2015. Auditório Municipal// Vendas Novas (PT) SET 2015. FesTA – Festival de Teatro// Ferragudo (PT) NOV 2015);
§  Vidas de A a Z: Viver 100 vidas em vidas que não vivemde Mónica Kahlo e Sílvia Raposo (produção: Companhia Vidas de A a Z, texto: Mónica Kahlo. Casa da Cultura// Mora (PT) JUN 2014. Fábrica Braço de Prata// Lisboa (PT) JUL 2014. Casa das Histórias Paula Rego// Cascais (PT) JUL 2014. Centro Cultural// Vila do Bispo (PT) AGO 2014. Auditório António Silva// Sintra (PT) OUT 2014. Cineteatro Municipal// Serpa (PT) JAN 2015. Teatro Turim// Benfica (PT) FEV 2015).

Obras literárias
§  Um Segredo Esquecido para Atear Paixões, Coleção Prazeres Poéticos, 1ª ed., Lisboa: Chiado Editora, pp. 112.

Obras científicas
§ RAPOSO, Sílvia (2018), “Os desaparecidos, os fantasmas e o corpo como arquivo: o conflito sírio na dança-teatro contemporânea”, Em Cadernos de Campo, São Paulo, vol. 27, n.1, pp.132-170.
§  RAPOSO, Sílvia (2018), “Entre mujahidins e fantasmas: a improvisação e o corpo-arquivo como microcosmo do conflito Sírio”, Em Eikon – Journal on Semiotics and Culture, nº 3, Abril, pp.67-83.
§  RAPOSO, Sílvia (2018), "Os desaparecidos, os fantasmas e o corpo. Como arquivam? Analisando o conflito sírio na performance contemporânea", Em Sociologia Online, n.º 15, dezembro 2017, pp. 71-100.
§  RAPOSO, Sílvia (2017, 5 de Setembro), “As balas no dorso do crocodilo: escultura, memória e resistência em moçambique”, Em BUALA, disponível em <http://www.buala.org/pt/a-ler/as-balas-no-dorso-do-crocodilo-escultura-memoria-e-resistencia-em-mocambique>.
§  RAPOSO, Sílvia (2017), “As balas no dorso do crocodilo: escultura, memória e resistência em moçambique”, Em Fórum Sociológico, série II, nº 30.
§  RAPOSO, Sílvia (2017), "O espelho da catedral: reflexos do político em «A Grande Revista à Portuguesa»”, Em Artes da Cena, v. 3, n. 1, Jan-jun 2017.
§  RAPOSO, Sílvia (2017), “Antropologia e performance. Terra de ninguém ou terra de todos?, Em Perifèria - revista de recerca i formació en antropologia, Número 22(1), junio 2017.
§  RAPOSO, Sílvia (2017),“Desabrochando uma rosa de um rocket”: arte, memória e resistência em Moçambique, Em Processos migratórios e práticas artísticas em tempo de guerra: do século XX à actualidade (Global Art Monograph Series), ed. Cristina Pratas Cruzeiro, Lisboa: Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas-Artes, Centro de Investigação e Estudos em Belas-Artes (CIEBA).
§  RAPOSO, Sílvia (2016), “Desabrochando uma rosa de um rocket: memória, performance e resistência na arte moçambicana”, Em Perifèria - revista de recerca i formació en antropologia, Número 21(1), junio 2016.
D. Mona. D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.D. Mona.